terça-feira, 7 de julho de 2015

Racismo Reverso: Só existe na terra do nunca!

                                 


                 Com a abolição da escravatura no dia 13 de Maio de 1888, findava-se um período que ficara marcado na história do Brasil e do povo negro principalmente. Por mais de 300 anos, os negros se viram como sendo inferiores em relação aos brancos, e durante todo esse tempo, foram oprimidos e ridicularizados em nome desse mau, que até hoje assombra a sociedade brasileira, denominado erroneamente por Racismo.

                    É muito comum ouvir certas pessoas falarem que atualmente, o racismo não se encontra mais tão presente na sociedade brasileira, visto que, vários são os fatores que contribuíram para moderar essa prática fútil e cultural, que se manifesta nos mais diversos segmentos sociais. É válido ressaltar também, que as pessoas adeptas desse pensamento, na grande maioria dos casos, por serem predominantemente brancas, fazem prevalecer outro pensamento, que aos poucos se fortalece cada vez mais. O chamado Racismo Reverso está sendo disseminado de forma muito rápida em alguns segmentos da sociedade brasileira, principalmente, no que diz respeito às classes de maior poder aquisitivo, já que, o Racismo não pode ser enfrentado como algo meramente racial, mas também, como algo totalmente relacionado ao fator social.

                       É necessário, portanto, compreender no que consiste essa ideia do Racismo Reverso, para assim, relacioná-lo ao contexto em que se encontra a sociedade brasileira. A princípio, esse conceito se baseia no fato de que o branco também sofre racismo, partindo do preceito de que, algumas vezes é possível observar, principalmente nas redes sociais, práticas ofensivas advindas de negros que partilham da chamada ´´Brancofobia`` (assim denominada pelos defensores desse conceito),  que consiste na aversão total ao branco. Ademais, os adeptos defendem o fato de que, aos poucos, essa aversão se tornará passiva de punição às pessoas que insultarem a prática da ´´Brancofobia``.


                O que essas pessoas desconhecem, é a real significação do Etnocentrismo, popularmente chamado de Racismo, já que, para se caracterizar o Racismo, é necessário que haja, acima de qualquer ação de insulto ou depreciação do outro, uma relação de poder, baseada em uma opressão construída e disseminada socialmente. Outro fator que pesa contra essa teoria, é o simples fato de que, toda vez que se pensa em Racismo no Brasil, há sempre uma relação histórica com a escravidão, algo que, seria impossível de se relacionar com o tal Racismo Reverso, tendo em vista que, em nenhum momento da história, houvera situação semelhante enfrentada pelos brancos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário